Galeria Duque comemora 9 anos entre sonhos, fantasias, arte e retratos

  • Cultura
  • 25/11/2021 - 09:14
  • 92 Views

· Exposição Sonho, Fantasia e Arte, com vernissage, no sábado, 27 de novembro, aproxima o público das obras de artistas como Salvador Dalí, Marc Chagall, Alfredo Volpi, Walter Lewy, Candido Portinari, Tomie Ohtake, Di Cavalcanti, Djanira da Motta e Silva e Roberto Burle Marx.

· No mesmo dia, inaugura a mostra Feições da Imagem: a vida transformacional do retrato, que reflete diferentes interpretações do retrato sob a ótica de 57 artistas em mais de 80 criações.

A Galeria Duque inaugura no sábado, 27 de novembro, das 11h às 16h30, a exposição “Sonho, Fantasia e Arte”, com a curadoria de Daisy Viola. A mostra faz parte das comemorações de 9 anos do espaço cultural, que tem em sua essência expor obras de nomes consagrados da arte do Brasil e do mundo, mas que também abre espaço para novos talentos e sonhos, como na exposição “Feições da Imagem: a vida transformacional do retrato”, com obras de 57 artistas gaúchos e curadoria de Ana Zavadil.

“Na Duque, são 9 anos de compartilhamento de sonhos coloridos, figurativos, abstratos em todas as dimensões possíveis. A Galeria também um dia foi um sonho nosso, que trouxemos para a realidade e compartilhamos”, comemora Daisy.

A exposição é formada pelas cores e a genialidade das obras do acervo da Duque, de artistas como Salvador Dalí, Marc Chagall, Alfredo Volpi, Walter Lewy, Eduardo Vieira da Cunha, Tomie Ohtake, Di Cavalcanti, Candido Portinari, Tarsila do Amaral, Djanira da Motta e Silva, Heitor dos Prazeres, Roberto Burle Marx, Aldemir Martins, Hércules Barsotti, Jorge Guinle, Antônio Bandeira, Armando Romanelli, Alexandre Rapoport e Alex Vallauri. As criações poderão ser apreciadas nos dois primeiros andares do prédio clássico localizado no Centro Histórico de Porto Alegre. “Aqui a nossa arte é visual, são objetos bi ou tridimensionais, que algum dia fizeram parte do sonho e da imaginação de alguém. Agora estão aqui, concretizados ao alcance do nosso olhar. São cores, linhas e manchas, consequências de gestos que as transformam em imagens que, de alguma maneira, expressam o conteúdo do universo de um ser humano que, com a sua obra, nos faz perceber e sentir um pouco da realidade de seu existir, no seu tempo e lugar”, declara Daisy.

Nessa exposição, a curadora traz reflexões sobre a possibilidade de transformar sensações e imagens em objetos, sons, letras ou imagens em movimento. “É quando a realidade interna ou externa se torna inspiração para o que está por acontecer, é o imaginário provocador, para algo que daqui a pouco será real, ou quase real. O resultado é a fantasia transformada através da linguagem artística em imagens oníricas com cores e linhas curvas, ou lugares imaginários, paisagens bucólicas e desejos realizados”, destaca. “Sonho, Fantasia e Arte” poderá ser conferida até o dia 15 de janeiro de 2022.

O Retrato na Arte Contemporânea

Além das obras do acervo, a Galeria Duque também recebe em comemoração aos seus 9 anos a exposição “Feições da Imagem: a vida transformacional do retrato”. Com curadoria da Mestre em História, Teoria e Crítica de Arte pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Ana Zavadil, a mostra traz criações de 57 artistas, que expressam como pensaram o retrato na arte contemporânea, por meio de mais de 80 obras. Elas estarão distribuídas nos terceiro e quarto andares da Galeria. “Na História da Arte, o retrato passa por muitas transformações e vai desde a semelhança fiel, em seus primórdios, até chegar a questões mais profundas, como a fragmentação e o simulacro na contemporaneidade”, ressalta Ana.

Segundo a curadora, é possível separar, dentro da exposição, nichos de semelhanças conceituais. “Foram sugeridas algumas bases para essas pesquisas: quando o corpo ou o rosto aparecem como uma representação dentro de uma representação; representação do rosto do artista ou de outra pessoa; cenas de rua, pessoas caminhando; abandono do figurativo, rostos distorcidos, imagens psicológicas, permitindo o abstrato; corpo descoberto, nu, tatuado, o corpo retratado com fascinação e repulsa, prazer, liberdade, inibição; Self; o simbólico, o figurado, lembranças, sentimentos”, detalha Ana Zavadil.

O catálogo de “Feições da Imagem: a vida transformacional do retrato” será lançado no dia 15 de dezembro e conta com textos da própria Ana e do curador e doutor em História da Arte pela Universidade do Estado de Nova York, Gaudêncio Fidelis. A exposição segue na Galeria Duque até o dia 20 de janeiro de 2022.

“Sonho, Fantasia e Arte” e “Feições da Imagem: a vida transformacional do retrato”
Local: Galeria e Espaço Cultural Duque
Endereço: Duque de Caxias, 649 – Centro Histórico - Porto Alegre
Vernissage: sábado, 27 de novembro, das 11h às 16h30min
Período da exposição: de 29 de novembro a 15 de janeiro (a exposição “Feições da Imagem: a vida transformacional do retrato” segue em cartaz até 20 de janeiro de 2022).
Horário de funcionamento: segunda à sexta-feira, das 10h às 18h | sábados, das 10h às 17h.Entrada Franca

Divulgação: Circula Moda
Fotos: Divulgação