Betina Sperp Albuquerque celebra dois anos de L’arrivée com crescimento de 70% e pluralização de serviços

  • Moda
  • 27/08/2021 - 09:29
  • 287 Views

Para comemorar , a empresária realizou um chá da tarde no dia 19 de agosto (quinta-feira), que também marcou apresentação da mostra “Energia e Conexão”, que reúne a produção mais recente da artista Bianca Santini.

Como uma empresa de dois anos lida com uma pandemia que já dura 18 meses? Para a L'arrivée (Av. Teixeira Mendes, 1236 - Chácara das Pedras), em Porto Alegre, muito bem. Nos últimos 12 meses, apesar do cenário de restrições de atividades, o espaço inspirado na riviera francesa que integra moda, decor e arte cresceu 70%. E apesar dos novos desafios do cenário econômico e social, braços foram inaugurados: a operação de verão, a L'arrivée Garden, localizado no deck suspenso na floricultura Office Garden (Av. Central, 1855 - Atlântida), em Xangri-lá; e o espaço "AZ Galeria", um ambiente de arte que tem curadoria da artista plástica Angela Zaffari.

Segundo Betina Sperb Albuquerque, nome à frente da L'arrivée, neste processo de construção e consolidação da marca a pluralização das opções à disposição do público foi essencial para segurar as pontas nos momentos mais difíceis deste período. “Pelo escopo da nossa atuação, o que mais temos a comemorar são os laços que estabelecemos com nossos clientes, que se tornaram grandes amizades. Afinal, é um processo de contínua troca: entregamos uma experiência desde o início e elas sempre estiveram conosco”, avalia.

Para celebrar os dois anos da marca, a L'arrivée apresentou uma programação especial no dia 19 de agosto (quinta-feira) para convidadas: um chá da tarde que também marcou o lançamento da exposição “Energia e Conexão”, que reúne a produção mais recente da artista Bianca Santini. “Tomar uma xícara de chá e um ato de aconchego . Este sentimento tentamos trazer como experiência. Além disso, a moda está intrinsecamente ligada à arte e queremos sempre que nossas conexões aqui na L’arrivée fluam com uma energia leve e inspiradora em uma experiência que vai muito além do consumo”, explica Betina.

Quanto à mostra, segundo Bianca Santini a inspiração para as obras surgiu da reflexão da artista a partir da situação de confinamento vivida em função da pandemia, que permitiu uma imersão em exercícios de autoconhecimento e maior conexão com a natureza. “São desenhos a grafite, pinturas em tinta acrílica, pigmentos especiais, pó de ouro, prata, purpurinas e resinas que remetem a partículas, ondas, fibras de energia com delicadeza e beleza”, explica a artista.

Divulgação: AZ Press Brasil
Fotos: Divulgação