TRATAMENTO DO SORRISO GENGIVAL

  • Saúde
  • 19/01/2022 - 17:07
  • 369 Views

A beleza pode ser definida como uma combinação de qualidades que proporcionam prazer aos sentidos e à mente. A sua percepção é multifatorial, dependendo de aspectos genéticos, ambientais e culturais, existindo uma grande variedade de definições de estética, tendo em conta as preferências individuais. A estética facial influencia oportunidades nas relações pessoais e profissionais, estando relacionada com uma personalidade extrovertida e maior autoestima e autoconfiança. Por sua vez, corresponde fortemente com a estética do sorriso - focada na zona da boca -, o centro da comunicação na face. Assim, o sorriso desempenha um papel fundamental na aparência e na expressão facial.

Ao longo dos séculos, pintores e escultores tentaram estabelecer proporções ideais do corpo humano, sendo provavelmente a teoria mais conhecida a Proporção Áurea. As partes, os elementos, as formas, as estruturas ou os conjuntos organizados em proporção áurea parecem mostrar uma noção de beleza máxima e função mais eficaz.

Um sorriso bonito é composto pelo equilíbrio entre dentes, gengiva e lábios. Quando uma pessoa mostra de 2mm a 3mm, ou mais, a gengiva ao sorrir ou falar (dependendo do autor), estamos diante de uma situação chamada de “sorriso gengival”. Tecnicamente não apresenta qualquer prejuízo significativo para a saúde, a função ou a qualidade de vida.

Caso solucionado através da aplicação de toxina botulínica nos músculos envolvidos na elevação do lábio superior
Caso solucionado através de gengivoplastia e ressecção óssea

A exposição gengival excessiva, denominada de sorriso gengival, constitui uma alteração na estética do sorriso. Para que os clínicos possam responder de forma adequada às necessidades e expectativas dos seus pacientes é necessário conhecer as causas desta alteração.

Entre as principais causas, posso citar:

• Lábio superior curto

• Hiperatividade dos músculos elevadores do lábio superior

• Crescimento excessivo da maxila no sentido vertical

• Erupção dentária alterada (quando o dente “nasce” pouco)

• Sobre-erupção compensatória (quando houve desgaste dos dentes, e há crescimento do osso e gengiva, mantendo a dimensão vertical)

• Sorriso gengival induzido por placa bacteriana (quando ocorreu inflamação gengival pela presença de placa, causada por restaurações desadaptadas, brackets ortodônticos, entre outros, fatores sistêmicos como diabetes, alterações hormonais como na gravidez, puberdade, uso de alguns medicamentos.). A gengiva hipertrofia, e mesmo quando restabelecida a sua saúde continua com volume aumentado.

Para ter uma ideia, apresento fotos de dois casos com causas e tratamentos diferentes, ressaltando que o objetivo de qualquer que seja o tratamento de eleição é alcançar a satisfação do paciente, tanto no nível estético quanto funcional, através de um resultado estável a longo prazo.

Fotos: Divulgação Dra. Adriana Langer

Dra. Adriana Lànger (CRO 10430)

Odontologia Estética e Reabilitadora
www.adrianalanger.com.br / contato@adrianalanger.com.br
Fone: (51) 98192 4938 / 30287576
Rua Miguel Tostes, 880 - 3º andar - Porto Alegre/RS
@dra.adrianalanger