Janelas - Mostra de Inverno do Circo Híbrido

  • Cultura
  • 03/07/2020 - 16:55
  • 269 Views

Nos dias 10,11,e,12 de julho o Circo Híbrido apresenta online ao vivo o Janelas - Mostra de Inverno 2020.

O Circo Híbrido convida todos para o NoAr, Mostra de Inverno 2020, edição Janelas. Uma mostra de vídeo-circo e vídeo-dança que irá acontecer em 3 sessões online ao vivo no Instagram @circohibrido, dias 10, 11 e 12 de junho, sempre às 20h. A entrada franca com contribuição consciente ao chapéu, uma forma de angariar fundos para manter as atividades do Circo durante a pandemia. Janelas é convite para entrar em nossas casas e escutar nossas histórias, emolduradas pelo universo, mostrando que o mundo pode ir além.

O NoAr - Mostra de Inverno do Circo Híbrido acontece presencialmente desde 2015, resultado do processo de pesquisa e criação desenvolvido no primeiro semestre de cada ano na Escola Circo Híbrido. Neste ano, devido à atual situação, o NoAr migrou para o ambiente virtual, assim como as aulas e a pesquisa também foram elaboradas em EAD dentro das 5 modalidades de aula oferecidas pelo Circo Híbrido durante o isolamento social: Dança em Casa, Tecido em Casa, Flexibilidade, Parada de Mão e Circo com a Família. No elenco mais de 50 intérpretes criadores de todas as idades, divididos em 9 coreografias, orientadas por Taina Borges, Lara Rocho, Simone Balestro, Raquel Braun, Estevan da Cunha, Agatha Andriola e Mariana Kich.
__

NoAr – Janelas
Dias 10, 11 e 12 de junho, às 20h, ao vivo no Instagram @circohibrido
Entrada Franca - contribuição espontânea ao chapéu.
Acesse para ver o teaser do Janelas>> https://youtu.be/dUCJrJGDqQI
Saiba mais sobre o Circo Híbrido em www.circohibrido.com.br
__

Programação:
SEXTA | 10/07 | 20h
SUSPENSÃO: Do corpo, do espaço, dos limites estabelecidos. Do isolamento. Conexão dentro fora. Entrega. Conexão. Dançar livre, mesmo em suspensão. Respiros necessários.
Concepção e orientação cênica: Tainá Borges.
RESPIRA: Respira” é o resultado da pesquisa que teve como vetor o resgate de movimentos e vocabulário da dança aérea impressas no chão, em espaço confinado como onde nos encontramos nos últimos tempos. O equipamento aéreo tecido, nosso protagonista tradicional, foi inserido nesse novo formato de exploração. Um momento de esquecer o que se passa lá fora e ouvir o som do ar entrando nos pulmões, enquanto os corpos descobrem novos caminhos neste novo formato de ser. Concepção e orientação cênica: Simone Balestro.
BOLERO SOBRE AS MÃOS: Mãos firmes, olhos focados, atenção redobrada e uma outra percepção do seu Eu interior… Uma janela para o auto conhecimento sob uma perspectiva inversa. Concepção e orientação cênica: Estevan da Cunha.


SÁBADO | 11/07 | 20h
NOTAS SOBRE A SAUDADE: Notas sobre a saudade é uma dança-poema criada em tempos de isolamento, de confinamento, de pandemia - tempos sombrios. Uma dança concebida coletivamente e à distância, em encontros virtuais. Uma dança motivada pela necessidade latente de dar vazão à saudade por meio do gesto e da poesia. Concepção e orientação cênica: Lara Rocho.
A DANÇA DAS MÃOS: A dança das mãos é dança inventada em tempos de espaço apertado e corpo latente. Uma dança brincante, que explora o próprio corpo enquanto território para o movimento. Uma dança feita de gestos, de movimentos pequenos em amplitude, porém imensos em potência, expressividade, subjetividade. Concepção e orientação cênica: Lara Rocho.
FLORESCER: Florescer é a palavra traduzida em gesto, é a maneira que nos reinventamos, é uma fuga do concreto das paredes que nos cercam para dentro de nossos próprios corpos. Às vezes semeamos, outras tantas reinventamos. Trazemos um olhar diferente a àquilo que era comum. Um momento de respiro que se faz necessário, uma flor que surpreende no caminho. Concepção e orientação cênica: Mariana Kich.

DOMINGO | 12/07 | 20h
LIBERDADE ENGAIOLADA: Liberdade engaiolada é uma dança-reflexão sobre como o isolamento em nossos lares nos faz sentir pássaros engaiolados. Porém, a necessidade de se expressar é pungente. Dançamos esse sentimento, através de um processo de criação coletiva. Os corpos e mentes inquietos das dançarinas lhes impelem a experimentar novas formas de dar asas a liberdade, mesmo com a circulação no espaço urbano limitada por uma pandemia. Concepção e orientação cênica: Raquel Braun.
O PEQUENO CIRCO DA NOSSA CASA: O pequeno circo da nossa casa é um vídeo dança em formato de recorte. Um gostinho do tanto que se dança junto, se cria, brinca, faz acrobacia e se diverte muito no nosso circo, sempre, onde quer que ele aconteça. Concepção e orientação cênica: Agatha Andriola.
ETIQUETA PARA O FIM DO MUNDO: Um videodança repleto de grandes amplitudes corporais em pequenos espaços. Íntimos lugares que são reocupados, habitados, corpos adaptando-se para seguir, moldando-se, crescendo e criando boas maneiras que são todas, pra se dançar o caos e temperar a travessia. Concepção e orientação cênica: Agatha Andriola.

Divulgação: Circo Híbrido
Foto: Divulgação