728 x 90

O Balé das Luzes no Home Aurora Blue

Projeto do espaço de home theater assinado pela dupla da Progetta Studio na CASACOR SC provoca os sentidos para proporcionar bem-estar físico e emocional.

As cores vibrantes aguçam a curiosidade dos visitantes do espaço Aurora Blue na CASACOR Santa Catarina, edição Florianópolis, e revelam o caráter conceitual do projeto, assinado dos arquitetos Graziella Oliveira e Allan Chierighini, da Progetta Studio. Determinada a explorar os elementos da natureza, a dupla inspirou-se nos fenômenos das auroras boreal e austral, para a definição da paleta de cores, fugindo dos tons tradicionais adotados para essa representação. Classificado como “contemporâneo moderno”, o projeto se destaca pelo uso de linhas simples, iluminação cenográfica e cores fortes e vibrantes.

“O que nos motivou, foram as pesquisas constantes sobre a arquitetura mundial, principalmente, de países nórdicos e europeus, durante o ano de 2018 e 2019. Na Rússia, Finlândia, Ucrânia, Suécia e na Dinamarca, percebe-se os fenômenos de noites que duram dias, e de dias que duram noites. Por isso, a atmosfera mais escura prevaleceu, mas o alaranjado se apresenta como nos dias de sol duradouro nessas regiões do planeta”, explicam. Eles adotaram a cor laranja às nuances da madeira nogueira, e ousaram na escolha do roxo fosco para a pintura dos tetos. Para a parede de alvenaria de blocos, mantiveram a identidade construtiva, remetendo o caráter urbano dos muros das cidades. No local, o artista Thiago Valdi imprimiu sua arte afetiva e poética, unindo as auroras à figura feminina da natureza, como criadora de tudo que há.

O balé das luzes das auroras boreal e austral é fonte de encantamento do usuário idealizado para esse espaço: um jovem empresário bem-sucedido do ramo de tecnologia, que adora assistir filme e ouvir músicas com vibrações positivas. Para ele, o conforto é essencial, tanto físico como o emocional. Assim, para o espaço de 50 metros quadrados, Graziella e Allan adotaram cores acolhedoras, elementos naturais e planejaram uma estrutura multifuncional, incluindo copa, com espaços de adega, frigobar, pia e fogão, além de espaços de armários para louçaria.
Na copa, destaque para os pratos cerâmicos e para as louças artísticas produzidas por Thiago Valdi especialmente para o ambiente. E para a escultura de centro de mesa “Centopeia” do designer Gustavo Engelhardt, Daniel Castelo e Diego Costi. Uma lareira de fluído, com design transpassado, estabelece a setorização dos ambientes. O equipamento tem autonomia de quatro horas.

As soluções de automação, com tecnologias de ponta, para áudio e vídeo, também atenderam a necessidade de conforto. O sofá, automatizado, é ajustado aos interesses do usuário a partir do controle por celular ou por botões intuitivos. Para os revestimentos, os arquitetos associaram cimentícios e metálicos, que remetem condições de formações rochosas em noites de auroras, e pedras naturais exclusivas para o ambiente, como na lareira, que recebeu Quartzito Nero Striato, e na copa, com o Quartzito Aurora Blue, o qual fortaleceu o nome do espaço. Na parede dos fundos foi utilizada lâmina de rocha, originária da Índia, fornecida pela BS Studio. A ideia foi fazer alusão às formações rochosas de áreas com vulcões ativos, como o Kilawea, no Havaí.

Planeta Casa
Em atenção ao tema proposto pela CASACOR em 2019 – Planeta Casa - afetividade, tecnologia e sustentabilidade — os arquitetos reforçaram os conceitos fundamentais de quatro elementos que consideram essenciais para a vida: água, terra, fogo e a consciência.
A água, elemento vital à vida do planeta, presente nas áreas molhadas, nos equipamentos de misturadores e nas plantas, com destaque para as esculturas florais da designer floral Suzi Hahn.
A terra, simbolizando a fertilidade, o renascimento e a possibilidade de colher o que é plantado, está presente nos tons terrosos adotados no ambiente, e também nas cores vivas. “A terra emana afetividade através da possibilidade de gerar a vida”, conceitua Graziella.
O fogo, como elemento acolhedor, o calor necessário para a vida planetária, está apresentado na lareira, instalada “na distância propícia a emanar energias revigorantes, e emoções calorosas ao espaço, em variados momentos”, explicam.
A consciência, para os arquitetos, está simbolizada na possibilidade de projetar a arquitetura espacial, como também na evolução humana através da tecnologia, a “quinta essência”, promovendo a sustentabilidade do planeta. “Por meio da consciência, as estratégias e utilização dos materiais do ambiente foram planejadas para o reuso”, complementa Allan.

Texto: Letícia Wilson
Fotos: Lio Simas