SC CULTURA

EM CONSTRUÇÃO

Não faz muito tempo uma voz elegante e sexy tomou conta das noites de Floripa. Aos 22 anos, Flora Cruz é um nome da cena musical que vem despertando interesse no público a cada apresentação - principalmente depois de elogiadas performances no Porão do Delfino 146 ou em aparições em algumas festas da cidade.

Filha de um catarinense e uma britânica que se conheceram fazendo teatro na Inglaterra (quer encontro melhor?), ela sempre cantou em casa, aos nove começou a estudar violino e depois violão, cujo professor ainda ensinou técnica vocal à aluna.

Daí para os vídeos das festas em família e aos eventos da escola foi um pulo. No Ensino Médio teve uma banda de garotas, tocava percussão e cantava. Diz que foi nessa época que aprendeu a “tocar um baixo meio improvisado”.

No meio de tudo isso - e de uma faculdade de Design de Moda -, Flora foi experimentar a carreira de modelo em uma temporada de três meses em Londres. Mas não adiantou. “Eu só queria cantar”, revela em um animado bate-papo por WhatsApp. Disso tudo, ficou a experiência que aplica em sua própria label de roupas e acessórios (e nos cliques para o Instagram).

A participação especial na canção High, dos meninos da Reis do Nada, deu ainda mais visibilidade e os convites não pararam de surgir. É uma graça vê-la no palco ao lado do namorado Laurinho Linhares, integrante da dupla de R&B. Fã das divas do soul (e quem não, Flora?), a cantora, agora com uma banda própria, se prepara para lançar o primeiro EP com canções autorais e outras parcerias. Estamos esperando.


NATUREZA VIVA

Quem acompanha Nestor Jr. sabe que o artista plástico vai além dos desenhos e das aquarelas com suas figuras longilíneas ou desproporcionais (mas sempre carregadas de uma boa dose de sensualidade). O olhar do catarinense criado no norte do Estado e no Vale do Itajaí também se volta à fotografia no recém-lançado livro Voltas.

São imagens captadas entre 2010 e 2015 e reunidas em uma publicação com a tiragem de apenas 100 exemplares encadernadas manualmente pelo artista. Segundo a filósofa pernambucana Bárbara Buril que, ao lado da poetisa Claudia Iara Vetter, assina textos no livro, “a natureza se manifesta aqui como um bálsamo através do qual a cultura pode sair de si mesma e a si mesma voltar. Assim como suas pinturas, as fotografias de Nestor Jr. também nos apontam para o espaço relacional, nem sempre livre de conflitos, onde natureza e cultura se encontram...”.

CONE CULTURAL

Antes mesmo da inauguração o mural Cisne Negro, obra do projeto Street Art Tour assinada pelo artista Rodrigo Rizo, já dava sinais de que transformaria aquela região do Centro da Capital. Nos jardins do Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa, mais precisamente no paredão do edifício João Moritz, está um novo foco dos olhares apressados. Impossível passar por ali e não registrar a obra de 900 metros onde reina absoluto o poeta catarinense. O projeto Street Art Tour desenvolve um trabalho de valorização dos ícones culturais de Florianópolis por meio de murais que homenageiam a vida e a obra de nomes importantes para a cidade. No app Street Art Tour é possível mapear e organizar um roteiro para conhecer obras de arte urbana de grandes dimensões.

BIO

Jhasuá Rodrigues cresceu em uma casa com um jardim imenso. Criança, vivia observando os seres deste espaço, sem distinção, compenetrada. Depois de uma passagem pela Austrália onde se encantou pelo design gráfico, voltou para Floripa para fazer faculdade e buscar mais conhecimento.

Em 2016, descobriu a ilustração científica e pode unir o que mais gosta, a natureza e as artes visuais. Focou o trabalho na flora e na fauna por isso. Suas obras em aquarela, como as que ilustram esta página, são tão ricas em detalhes que acabam gerando dúvidas sobre a técnica em quem as observa.

Acostumada a trabalhar com pequenas ilustrações, Jhsuá ampliou seus traços ao desenhar na parede do Botânico, o incensado restaurante natural no sul da Ilha. É só começo.

ARTE PARA QUEM PRECISA

Para muitos, o Instagram é apenas uma rede social onde o dia a dia se resume em imagens de pôr do sol, pets fofinhos e gastronomia estrelada com flores e espumas. Não é. A plataforma de vídeos e fotos do Mark Zuckerberg tem uma infinidade de perfis sobre cinema, arte, dança, teatro, fotografia e cultura em geral. Aqui, três perfis (para quem não segue) que valem a pena o follow:

Últimas Colunas

Instagram @revistaonne