728 x 90

Santander Cultural apresenta nova programação de artes visuais

  • Cultura
  • 15/06/2018 - 10:13
  • 227 Views

RSXXI é uma exposição que comprova a diversidade criativa e original do estado com 80 obras de 12 artistas gaúchos.

O museu desmiolado, exposição infantil baseada no livro homônimo do poeta Alexandre Brito, traz doze poemas musealizados.

Em junho, a unidade de cultura do Santander em Porto Alegre inaugura duas mostras exclusivas de artes visuais. Com curadoria de Paulo Herkenhoff, RSXXI – Rio Grande do Sul experimental, que abre para o público a partir do dia 20, reúne 12 destacados artistas da cena contemporânea gaúcha com 80 obras. Já O museu desmiolado, com curadoria de Ceres Storchi e Cláudia Antunes, é baseado no livro homônimo do poeta Alexandre Brito. Com abertura para o público no domingo, dia 24, a exposição é um convite para refletir o papel e a importância dos museus no mundo por meio de poemas musealizados.

Paulo Herkenhoff, curador da exposição RSXXI – Rio Grande do Sul experimental, afirma que “o Brasil é gaúcho. Esses jovens artistas assumem a agenda nacional. Não se circunscrevem mais aos limites do estado. Atuam pelo país, propõem narrativas brasileiras”.

As curadoras de O museu desmiolado comentam sobre a iniciativa que dá protagonismo ao público infanto-juvenil. Ceres destaca que “a imersão em um mundo lúdico de palavras compostas em forma de poemas nas páginas de um livro trouxe-nos a essa exposição. A riqueza desse panorama poético é uma experiência do mundo dos sonhos, da imaginação e dos sentidos”. Claudia lembra que “com o livro nas mãos, surgiu a necessidade de buscar uma parceria sólida e frutífera para concretizar o projeto e interpretar os poemas, segundo a ótica da museologia, da curadoria e da arte-educação. Assim, à poética de Alexandre Brito, somaram-se os esforços da produção e o acolhimento institucional do Santander Cultural”.

Sobre o RSXXI – Rio Grande do Sul experimental

Ao longo das últimas décadas, o Rio Grande do Sul se tornou um cenário com expressiva produção artística, além de constituir um vigoroso e efervescente sistema que demanda por parte do público que visita seus centros culturais, museus e universidades. Inserido nessa perspectiva, o Santander Cultural investe na arte contemporânea brasileira por meio do talento de artistas consagrados e novos talentos – motivo do Projeto RS Contemporâneo.
Esta exposição, que parte de uma sigla de fácil memória e que provoca curiosidade, RSXXI, se propõe a articular a força do processo de criação contemporâneo de artistas locais. Ainda que sem a pretensão de um levantamento completo, a iniciativa se firma como um foro de reconhecimento com um relevante recorte: André Severo, Cristiano Lenhardt, Daniel Escobar, Laura Cattani e Munir Klamt (Ío), Isabel Ramil, Ismael Monticelli, Leandro Machado, Marina Camargo, Michel Zózimo, Rafael Pagatini, Romy Pocztaruk e Xadalu apresentam fotografias, livros, instalações, vídeos, objetos, esculturas, serigrafias e documentos.

RSXXI – Rio Grande do Sul experimental
Curadoria Paulo Herkenhoff
Grande hall do Santander Cultural
Abertura para convidados, dia 19 de junho, terça-feira, das 19h às 21h
Visitação de 20 de junho até 29 de julho
Entrada franca
Este projeto é patrocinado pelo Santander, realizado pelo Santander Cultural, Imago Escritório de Arte e Ministério da Cultura através da Lei Rouanet.

Sobre O museu desmiolado

De forma lúdica e poética, a mostra, com curadoria é de Ceres Storchi e Cláudia Antunes, é apresentada em formato de núcleos por meio de uma seleção de doze poemas musealizados com objetos, músicas, paisagens, sentimentos e lugares descritos nos versos do autor Alexandre Brito.
Na exposição, o desmiolado não representa alguém sem memória ou responsabilidade, mas a inversão da razão, do bom senso, numa divertida instalação às avessas. São apresentados botões de roupas, relógios parados, minúsculos objetos, a solidão que vive em cada um de nós, o sinistro, o vento, o local onde vivem musas, as paisagens crepusculares, as palavras que já não usamos mais, os instigantes palíndromos e um local chamado “fim do mundo”, a partir da perspectiva da proximidade de quem o encontra ou o habita.
Uma vez que a origem da palavra grega “museu” remete à “casa das musas”, no dia da abertura, 23 de junho, e em datas especiais, 1º e 27 de julho, ocorre a performance Filhas da Memória, com concepção e direção cênica de Gabriela Poester. São nove atrizes que representam as filhas de Mnemóside e de Zeus. Na mitologia grega, Calíope (eloquência), Clio (história), Erato (poesia lírica), Euterpe (música) Melpôneme (tragédia), Políminia (música sacra), Tália (comédia), Terpsícore (dança) e Urânia (astronomia e astrologia), inspiravam as artes e as ciências.

A experiência da construção cultural protagonizada na visita apresenta o museu como lugar de geração de conhecimento, com infinitas oportunidades de aprendizagem e identificação. Museu, arte, educação, memória e poesia são as palavras-chaves que sustentam a mostra, que oferece uma oficina permanente para exercitar processos criativos.

Num diálogo permanente com o fazer humano, a iniciativa está ancorada num conceito de transversalidade que incentiva despertar a curiosidade dos diferentes espaços museológicos representativos de Porto Alegre. Uma das propostas é abrir um diálogo que permita partilhar, cruzar visões, ressignificar novos saberes no tempo e contexto de vida de cada pessoa.

Os 12 poemas que integram a exposição
O museu
O museu desmiolado
O museu do botão
O museu do vento
O museu sinistro
O museu da solidão
O museu nininho
O museu do crepúsculo
O museu das palavras esquecidas
O museu dos palíndromos
O museu dos relógios parados
O museu do fim do mundo

Performance Filhas da Memória
Concepção e direção cênica | Gabriela Poester
Figurino | Augusto Schnorr e Mari Falcão
Artistas | Ana Girardello, Camila Falcão, Carina Corá, Carla Cassapo, Cláudia Carvalho, Flávia Reckziegel, Jesline Cantos, Naomi Luana e Silvana Rodrigues

O museu desmiolado
Curadoria Ceres Storchi e Cláudia Antunes
Galerias leste e oeste superiores do Santander Cultural
Abertura para convidados, dia 23 de junho, sábado – das 16h às 19h
Visitação de 24 de junho até 29 de julho
Apresentações das Musas dias 23/06, 01/7 e 28/07
Entrada franca
Este projeto é patrocinado pelo Santander, realizado pelo Santander Cultural, CIDA Cultural e Ministério da Cultura através da Lei Rouanet.


Santander Cultural
Rua Sete de Setembro, 1028 | Centro Histórico
Porto Alegre RS Brasil 90010-191
Telefone: 51 3287.5500
scultura@santander.com.br | www.santandercultural.com.br

Horário de funcionamento
Terças-feiras a sábado, 10h às 19h
Domingos, 13h às 19h
Bilheteria: terças-feiras a domingo, 14h às 19h
Não abre segundas-feiras e feriados

Horários especiais junho
Domingo, 17/6 – não abre
Sexta-feira, 22/6 – abre das 12h às 19h
Quarta-feira, 27/6 – abre das 10h às 14h

Divulgação: Mariele Duran
Fotos: Divulgação