728 x 90

O novo Luxo

O conceito do Luxo, como tudo, vem se transformando para se adaptar aos novos tempos. Simplesmente porque as pessoas estão mudando. Em todas as épocas acontecem mudanças, nada de novo. O que está acontecendo, no entanto, é que não estamos em uma época de mudanças e sim em uma mudança de época!

Estamos entrando em uma nova época, uma nova era, a chamada revolução industrial 4.0, liderada pelas transformações que o mundo tecnológico está proporcionando. As ideias fluem muito mais livremente, e a imaginação se transforma em realidade muito mais rapidamente. O futuro já está acontecendo em todo o mundo, mas em lugares específicos, inclusive ao seu redor. Em Porto Alegre, já temos um banco totalmente virtual e uma empresa de tecnologia que oferece plataformas virtuais, onde empresas gigantescas do mundo inteiro estão conectadas. Sucesso mundial que nasce de uma garagem ao lado de sua casa! Tudo fica mais simples. Inclusive o “Luxo”. Mais tecnológico, mais acessível, mais demográfico e democrático, mais
A mão habilidosa do artesão nunca esteve tão valorizada quanto hoje. No mundo do Luxo, hoje em dia o Pequeno é o novo Grande. O intercâmbio de pessoas através dos movimentos migratórios cada vez mais intensos faz com que os indivíduos experimentem outras formas de viver e de se expressar. Proporciona uma troca intelectual e de experiências muito rica, que faz brotar ideias geniais capazes de transformar o dia a dia das pessoas para sempre. A grande vantagem dos novos tempos é que um novo estilo não subtrai o anterior. A mistura, a experimentação e a liberdade de expressão estão notórias no mundo moderno e no mundo do Luxo.

Conforme relatado recentemente por Pam Danziger, pesquisadora, autora e palestrante americana, o estudo realizado por
Marvin Traub, da Traub Associates, revela cerca de 200 novas marcas
de Luxo, denominadas de “David Brands”, que estão conquistando os “millennials” e a nova geração “HENRYs” (High Earners, Not Rich
Yet, leia-se, altos ganhos, mas ainda não ricos). Tudo isso acontecendo
em ambiente virtual através de novas empresas de e-commerce.

Empresas pequenas, com alta qualidade, inovadoras e, acima de tudo, linkadas a um propósito que conquista os novos consumidores e os fazem “votar” com seus cartões de crédito, elegendo produtos
e serviços que façam o bem para a comunidade e para o meio ambiente. As empresas e marcas precisam se posicionar e se comprometer com qualquer que seja o grau de excelência ou “Luxo” a que elas se propõem.

Em Cingapura, dois quiosques de rua receberam uma estrela Michelin pela qualidade dos alimentos e serviços. Não precisamos ir até lá. Já deram uma volta pelo mercado público? Luxuosas delícias com a dose certa de simplicidade. O Luxo não é mais o “supercarro” ou a bolsa dos sonhos, afinal de contas quase todos hoje têm um motorista particular que você chama no aplicativo. O Luxo sempre girou em torno do status e o status era possuir objetos. Hoje o status é ser alguém, preferencialmente criativo, conectado, de gosto eclético, totalmente livre de preconceitos e aberto às novas experimentações. E, desta vez, parece que o gênio não volta mais para dentro da lâmpada. As pessoas precisam passar a entender, ao invés de julgar, e interagir ao contrário de se isolar. Isto obviamente não elimina ou se sobrepõe ao “Luxo” superlativo, dos superjatos, supercarros ou joias preciosas, que sempre existirão. No entanto, sua importância no contexto global será sempre menor e desconsiderada em caso de grandes sacrifícios para sua obtenção.

Hoje é possível alugar um jato e ir a uma festa em um supercarro, coberto com roupas de grife e depois dormir em um superapartamento que você aluga por uma noite no Airbnb sem ter que trabalhar a vida inteira para isto. Em outra ocasião um retiro espiritual nas montanhas desprovido de quaisquer regalias. Luxo é poder escolher. Se a reflexão de quem já tem tudo tem sido mais simplicidade, menos grifes, menos acumular, mais espiritualidade e mais autenticidade, não resta dúvida de que o mercado do “Luxo” precisa se reinventar, pois as pessoas estão se reinventando e reinventando a forma de viver. E você?

GATEWAYS DO LUXO - Nesta Edição: Milão

A Itália, protagonista de tantos fatos históricos determinantes, não poderia deixar de ter seu destaque no mundo do Luxo. Indiscutivelmente um dos polos fabricantes do Luxo mundial, a Itália surpreende em todas as suas cidades. Podemos dizer que, se Roma foi a cidade dos imperadores, Veneza, o polo da idade média, Florença, o berço das artes, então, Milão é indubitavelmente a cidade do momento.

O lugar ideal para ver e ser visto. De acordo com residentes locais, nada é mais belo do que a segunda-feira pela manhã nas ruas de Milão. Homens e mulheres, jovens e não tão jovens, locais e estrangeiros, desfilando entre monumentos e bondes em trajes impecáveis de uma elegância ímpar.

Os milaneses têm prazer em estar elegantes, prestando atenção nos mínimos detalhes de suas vestimentas. Afinal, as opções para se vestir em Milão não estão necessariamente ligadas ao preço, pois existem todas as opções possíveis e imagináveis. O que conta mesmo é o bom gosto. Algo difícil de definir hoje em dia, porém, em qualquer estilo, os italianos sabem sem dúvida levar o traje com elegância.

O famoso “Quadrilátero da Moda”, que engloba uma serie de ruelas entre as famosas Via Montenapoleone e a Via della Spiga, tem tido seus imensos palácios de fachadas austeras transformados em templos da moda e do bom gosto. Um paraíso para os principais compradores do Luxo da atualidade (os chineses hoje representam mais de 30% de toda a movimentação no setor).

Estamos falando da Milão dos “4 Fs”: Fashion, Food, Furniture e, é claro, Football (moda, alimentos, móveis e futebol). Inúmeras lojas dos mais diversos produtos apresentam em suas suntuosas vitrines produtos da mais alta qualidade, com design contemporâneo, inovador, provocador e desafiador.

A MonteNapoleone Vip Lounge é uma instituição recentemente formada e patrocinada por um grupo de lojistas do Quadrilátero, para estimular o turismo de compras na área. Ali, os abastados e ávidos compradores do Luxo podem deixar suas coloridas e grifadas sacolas, descansar entre uma loja e outra e, o mais importante, ter o benefício de não se preocupar com a recuperação do imposto, do qual estrangeiros estão isentos. O processo de devolução destes valores pode ser exaustivo na saída do país, e o lounge resolve este problema entregando as compras até mesmo no aeroporto. Para se beneficiar do serviço, basta ser indicado por uma das lojas participantes.

A inovação é constante em Milão, e a hotelaria está com opções cada vez mais interessantes, atendendo as mais excêntricas exigências dos viajantes de todas as partes do mundo. O Hotel Magna Pars, por exemplo, permite que você escolha o aroma do seu quarto logo no check-in. São 38 quartos, cada um perfumado com uma das fragrâncias da pequena fábrica de perfumaria na entrada, pois ali esteve instalada por muitos anos uma tradicional perfumaria italiana.

Como a moda agora é o Brand Extension (extensão da marca) para outros segmentos, a fim de que os consumidores possam “experimentar” e “viver” a sua marca preferida, há uma explosão de locais como o “Martini Bar” da Dolce & Gabbana, ou o Bulgari Hotel Milano, onde você pode desfilar com as tradicionais joias de pedras coloridas, ou ainda o Emporio Armani Caffè, do famoso estilista local que estampa as ruas e avenidas da cidade com seus outdoors provocantes e marcantes da bela “italianidade” dos residentes.

Uma visita ao museu do grande mestre da moda italiana é um must na cidade. Armani/Silos é um mergulho na beleza e bom gosto de décadas de criação, artesania e bom gosto. A tradicionalíssima Pasticceria Cova na esquina da via Montenapoleone, agora sob o comando do poderoso grupo francês LVMH (Louis Vuitton, etc.), é o palco cênico para as bolsas de crocodilo e, já no mês de novembro, peles e botas de couro que só a Itália sabe produzir! Ups! Ou será que foram feitas em algum país do terceiro mundo... Não importa, pois nada consegue tirar o transeunte do sonho de estar circulando em local tão célebre e que atravessa os tempos. Até mesmo para apenas tomar um bom cappuccino!! Lembrem, o Luxo pode ser simples! Mas a poderosa Miuccia Prada não poderia deixar os franceses invadirem o território sagrado tão facilmente e, por isso, mais alguns passos e você está diante das maravilhas da tradicionalíssima Pasticceria Marchesi, agora sob o comando da descolada marca. Movimento intenso e delícias inesquecíveis.

Independentemente do conglomerado que investe na cidade, suas características permanecem preservadas, e o prazer de passear pelas milenares ruas apreciando os detalhes da moda, arquitetura e dos grupos de jovens e senhores entusiastas discutindo política aos pés da estátua de Da Vinci, defronte ao Scala, é intenso!

Até o próximo Gateway do Luxo!

Últimas Colunas

Instagram @revistaonne